quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

:: Seleção vai treinar no PV. Clubes que se danem.

Reforma do gramado do PV: Desalojados

Diário do Nordeste - 21.02.2013

PV é confirmado para treinos do Brasil na Copa das Confederações e deixa clubes sem ter onde jogar na Capital

A comissão técnica da Seleção Brasileira, comandada pelo coordenador Carlos Alberto Parreira, confirmou ontem: o estádio Presidente Vargas será o campo de treinos a ser usado pelo time de Felipão durante a Copa das Confederações.

PV sofre com a maratona de jogos em 2013. Juntando Campeonato Cearense, Nordestão e o amistoso do Ceará com o Horizonte, foram 16 jogos em 45 dias, mais de um jogo a cada três dias FOTO: KIKO SILVA


A informação, que poderia ser comemorada, deixou os clubes cearenses numa sinuca de bico, sem ter onde jogar na Capital por, pelo menos, 30 dias.

Isso porque Parreira solicitou a troca do gramado do PV, castigado pelo excesso de jogos e bem aquém do nível da Arena Castelão. A intervenção foi confirmada ontem mesmo pelo secretário de Esporte e Lazer do Município, Márcio Lopes, e demandará, pelo menos, 30 dias de fechamento do estádio.

Além do prazo da reforma, a Fifa exige que os campos de treino sejam fechados para jogos oficiais 30 dias antes da competição à qual servirão de suporte.

O próprio Parreira frisou isso durante entrevista coletiva, ontem, no Castelão. "A Fifa não permite que locais de treinamento tenham jogos um mês antes (da competição), e ela é muito exigente. Esses jogos vão ter de ser deslocados para outros locais", citou.

Parreira se referia exatamente às partidas que o Ceará, na Série B, e o Fortaleza, na Série C, terão de realizar no intervalo compreendido entre o fechamento do Castelão e a interrupção das competições nacionais para o torneio da Fifa.

A data em que o Castelão deverá ser fechado não foi confirmada ainda pela Fifa à Secretaria Especial da Copa do Estado (Secopa), mas a assessoria do órgão informa que isso deverá se dar na segunda quinzena de maio. Membros do Comitê Organizador Local (COL) já informaram que as arenas devem ser entregues 21 dias antes da Copa das Confederações à entidade que rege o futebol mundial.

Caso se confirme, o prazo (25 de maio) seria suficiente apenas para a final do Estadual, prevista para o dia 19 de maio, e, no máximo, a primeira rodada da Série B, nos dias 24 e 25 do mesmo mês. Como o PV já estará fechado, o Ceará ficará sem ter onde jogar na Capital em cinco datas da competição, que só irá parar no dia 11 de junho (pela lógica da tabela, pelo menos, duas partidas em casa).

Da mesma forma, o Fortaleza ficará sem espaço nas duas datas da Série C, em junho _ pelo menos um deles deve ser em casa.

Domingão é opção

Segundo Márcio Lopes, a Prefeitura se reunirá, até semana que vem, com a Federação Cearense de Futebol (FCF) e os clubes locais para definir o cronograma de fechamento do PV.

Quando o estádio estiver fechado, a opção de Ceará e Fortaleza será jogar no estádio Domingão, em Horizonte, e na própria Arena Castelão (para jogos maiores e até o estádio ser entregue à Fifa). Outra saída, indicada para os times menores, é o Estádio Municipal Antony Costa, em Antônio Bezerra.

Com problemas, PV pode fechar por período maior

O tempo que o PV precisará ficar fechado poderá ser ainda superior aos 30 dias, conforme o secretário municipal de Esporte e Lazer, Márcio Lopes. Isso porque a última reforma no estádio, fechado para tal fim entre fevereiro 2008 e maio de 2011, não resolveu uma falha de drenagem diagnosticada pela Fifa.

Duas opções de reforma estão na mesa do prefeito Roberto Cláudio. A mais completa inclui a reforma do gramado e um novo sistema de drenagem, o que pode deixar o estádio fechado por mais de 60 dias, a um custo de cerca de R$ 800 mil.

A mais simples teria apenas a troca do gramado _ solicitada por Parreira _ e representa um investimento entre R$ 400 mil e R$ 500 mil, além de, pelo menos, 30 dias fechado. Esse prazo pode ser ainda maior, considerando que a grama necessita de tempo para se fixar ao solo.

A escolha por uma ou outra levará em conta o tempo disponível até a Copa das Confederações. "Vamos discutir com técnicos da Secel, ouvir a Secopa do Município e manter contato com a empresa que fez o gramado do Castelão. Devemos tomar a decisão até semana que vem", diz.

Problemas de segurança

Conforme Márcio Lopes, a Prefeitura aproveitará a reforma para resolver outros problemas no PV. "São recomendações que o Ministério Público já havia apontado, questões de segurança, de altura dos corrimões, de acessibilidade, grelhas em posições indevidas, falta de sinalização de rota de fuga etc.", diz.

Segundo Lopes, essas correções poderão ser feitas em paralelo à troca da grama.

Déjà vu

Ficar sem ter onde jogar na Capital não é novidade para Ceará e Fortaleza. Em janeiro de 2010, os dois clubes mandaram os jogos do Estadual no Domingão, em Horizonte, pois o PV estava fechado para reforma, enquanto o Castelão havia parado por 50 dias para troca do gramado.

Em 2011, de 30 de março, quando o Castelão foi fechado para a modernização com vistas à Copa de 2014, a 8 de maio, quando o PV reabriu as portas, o Domingão foi, de novo, a saída.

´É preciso dar tempo ao tempo´

Para o coordenador da Seleção Brasileira, Carlos Alberto Parreira, a nova comissão técnica do escrete nacional, capitaneada por Felipão, precisa de tempo para trabalhar e deixar o time no mesmo nível que favoritas europeias, como a Espanha.

Parreira inspecionou, ontem pela manhã, o gramado do PV, ao lado de outros integrantes da comissão técnica e do secretário Ferruccio Feitosa FOTO: ALEX COSTA


"Falta trabalhar, treinar, dar tempo ao tempo. É uma nova comissão técnica e, evidentemente, uma nova filosofia", falou, em entrevista coletiva, ontem, no Castelão.

"Só temos este ano para preparar a Seleção até a Copa. Serão 13 jogos, mais cinco, se chegarmos à final da Copa das Confederações", lembra.

Parreira acredita que o amistoso contra a Inglaterra, no último dia 6 de fevereiro, foi apenas o primeiro passo de uma longa caminhada. "Daqui para frente, a gente já tem um parâmetro para trabalhar em cima do que a gente viu lá. O que interessa agora é formar um time para ganhar a Copa", resume.

Elogios

Além do PV, Parreira e os membros da comissão técnica da Seleção (que incluiu o assistente técnico de Felipão, Flávio Murtosa) inspecionaram um hotel na avenida Beira-Mar, cuja estrutura, segundo o coordenador, foi aprovada e "não preocupa".

A visita foi encerrada no estádio Castelão, que também ganhou elogios de Parreira. "A gente já tinha lido alguma coisa e visto pela televisão. Confirmar in loco só veio mostrar que vocês estão de parabéns. Nos sentimos aqui como se estivéssemos nos melhores estádios da Europa. O padrão aqui é de primeiro mundo", enalteceu.

CUSTO

400 mil reais será o custo mínimo da troca do gramado do PV. Caso a Prefeitura decida corrigir a falha de drenagem no estádio, o valor sobe para R$ 800 mil

0 comentários:

Postar um comentário