terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

:: Suvaco da Asa: Uma boa opção para os Embaixadores

image

 

     Uma dica aos senhores embaixadores e senhoras embaixadoras que estão sem programação, soltos na buraqueira, neste sábado, 19 de fevereiro: é dia de saída do Bloco (ou Troça) Suvaco da Asa, no Setor Sudoeste.

image

    O Suvaco da Asa, cujo nome é Troça Carnavalesca Mista Suvaco da Asa,  tem origens pernambucanas, mas junta uma ruma de nordestinos e do resto do Brasil. Tem a irreverência do Pacotão, mas tranquilidade e a segurança de uma procissão. Os caras cuidam de tudo! Tem até ambulância para levar algum bebim para o hospital.

   Há seis anos sai sempre do mesmo ponto de encontro, o Quiosque da Codorna (Quadra 10, Cruzeiro Velho). O bloco passa pelas quadras 6A, 6B e 7B do Sudoeste Econômico.

image

    História - A troça foi inaugurada em 2006, quando um grupo de amigos saudosos da folia do Leão do Norte, começou a brincadeira. Foram 100 testemunhas frevando atrás de um simples carro de som. No ano seguinte, com apoio da Prefeitura da Cidade do Recife, o Suvaco trouxe a Orquestra Popular da Bomba do Hemetério, que arrastou mais de 1.000 foliões em reverência ao centenário do frevo.

       Veio mais um ano, novos músicos, mesmo sucesso: 2008 foi o ano de reinado da Orquestra do Maestro Ivinho, responsável pela festa do Ceroula de Olinda, que veio a Brasília com apoio do Governo do Estado. Novamente o público ultrapassou o marco de 1.000 foliões e a troça continuou firmando a presença do frevo no Carnaval Brasiliense ao lado do samba e do axé, que predominam na festa e atraem o público do DF para as festividades do Rio de Janeiro e da Bahia.

image

      No quarto ano, a parceria com a Orquestra do Maestro Ivinho foi reeditada e não decepcionou: mais de 2.000 foliões se “acotovelaram” para acompanhar a troça ao som de muito frevo! Como todo carnaval merece.

     Em 2010 a festa foi ainda maior. Do jeito que pernambucano gosta. Três mil fanáticos tomaram conta das ruas do Sudoeste ao som de uma orquestra genuinamente Brasiliense: a Marafreboi.

image

     Sem mágica, saiba quando sai o Suvaco da Asa 2011!

   Desde as priscas eras, a data do desfile do Suvaco da Asa é definida assim:

- Verifique quando é o primeiro domingo após a primeira lua cheia após o equinócio de outono (20 de abril) e você está na Páscoa.
- Diminua 47 dias e você está na terça-feira gorda (8 de março).
- Antes de terça é segunda
- Antes de segunda é domingo
- Antes de domingo é sábado (5 de março).
- Dois sábados antes desse é o desfile do Suvaco (19 de fevereiro).

Certo como dois-i-dois é de-quatro!

Precisa desenhar ou por no gráfico?

19 de fevereiro! É neste sábado, negada!

http://suvacodaasa.wordpress.com/

       No endereço do Blog aí de cima você vai encontrar todas as informações sobre o Bloco (ou Troça), sua história, o trajeto, como adquirir camisetas e tudo o mais.

        Para adiantar, vai aí o Hino do Suvaco.

       Em homenagem ao Dia do Frevo (09/02), a Troça Carnavalesca Mista (TCM) Suvaco da Asa apresenta aos seus foliões o hino do bloco. Assinado pelos compositores Fábio Liberal e Zezinho das Candongas, foi arranjado pelo maestro  Edson Cunha, de Recife, e gravado sob a batuta do maestro Fabiano Medeiros, com a Orquestra Popular Marafreboi, do Distrito Federal. Filho de pernambucano, Liberal compôs o frevo com o pai, natural de Paudalho (PE).

    Coceira no Suvaco by suvacodaasa

alt   Download – Coceira No Suvaco

      Recheado de ironia, o frevo – gravado nos estúdios Madruga – faz referência à balbúrdia e à irreverência que marcam os seis anos da Troça. “Gosto do que faço porque faço o que gosto e, por isto, fiz estes versos, que dedico à galera de foliões do estimado SUVACO DA ASA, do qual, também, me sinto membro de coração, cabeça e frevo no pé”, afirma Zezinho das Candongas. “O frevo é dedicado aos saudosos Kildare Rodrigues, eterno Rei do Suvaco, e Júlia Maria do Nascimento, mãe do Candonga, também conhecida como minha avó”, completa Fábio.

      A Troça agradece especialmente ao Estúdio Madruga, por ter aberto suas portas para a gravação, sem cobrança de taxas, apostando apenas na disseminação da cultura brasileira no Distrito Federal. A Orquestra Popular Marafreboi, que arrasta o Suvaco da Asa pelas ruas do Cruzeiro e Sudoeste desde o ano passado, também foi parceira na empreitada. “A manifestação revela um pouco da importância do frevo no cenário multicultural de Brasília”, afirma o Maestro Fabiano Medeiros, da Marafreboi. A gravação tem o auxílio luxuoso de Helena Pinheiro, importante música da cidade, que segurou e embelezou o coro feminino.

Coceira no Suvaco

(Frevo de Fábio Liberal e Zezinho das Candongas)
(Em homenagem à Troça Carnavalesca Mista Suvaco da Asa)

O frevo é igual uma coceira,
Quando começa ninguém quer mais parar,
Coça aqui, coça ali, ai, ai
Coça acolá
Quanto mais a gente coça
Mais tá querendo coçar

Coça, coça, minha gente,
Ai que coceira profunda,
Vai coçando mais prá baixo,
Coça aqui na minha bunda.
Que coceirinha gostosa,
Coça aqui que é meu fraco,
Fico todo arripiado
Quando coçam o meu SUVACO!

Coçá, coçá,
Coçá, coçá, coçá,
Quá, quá, quá, quá, quá
Quá, quá, quá, quá, quá
A turma é mesmo boa,
É do balacobaco,
SUVACO, SUVACO, SUVACO!!!!

Zezinho das Candongas (José Manoel de Santana) é pernambucano de Paudalho e, em 1960, veio do Recife para Brasília, viveu aqui até 1994 e desde então vive na região Espinheiro-Graças-Aflitos. Foi seminarista em Olinda, soldado no 14º RI em Jaboatão, feirante no Mercado de São José e, em Brasília, auxiliar de pedreiro na 304 sul, coordenador de RH no escritório da Schindler e, de 1961 até a aposentadoria, na Eletrobrás. Hoje dedica-se à poesia (publica regularmente em http://recantodasletras.uol.com.br/autores/candonga) e à senvergonhice.
(uf, que currículo!!!)

Fábio Liberal é amante da música e da alegria e filho de Zezinho das Candongas

Ficha técnica:
Nome da musica: COCEIRA NO SUVACO
Autores: Fábio Liberal (musica) e Zezinho das Candongas (letra)
Arranjo: Maestro Edson Cunha
Adaptação do arranjo para a Orquestra Marafreboi: Maestro Fabiano Medeiros
Gravação e mixagem
: Felipe Mendes e Rafael Maranhão
Consultoria de produção: Leo Barros
Coro: Maestro Fabiano Medeiros, Orquestra Marafreboi, Erika Ferreira e Helena Pinheiro
Voz: Fábio Liberal
Gravado em 04/02/2011 no Estúdio Madruga.

1 comentários:

Anônimo disse...

Eu fui e valeu a pena .... Robson Eustáquio de Mesquita.

Postar um comentário